terça-feira, 8 de maio de 2007

Um dia quem sabe alguém invente alguma fórmula pra cessar a dor...
Aí você me pergunta:

-E pra que mesmo servem os analgésicos??

Eu te respondo que curar dores físicas pode ser até bem simples, mas a dor que não se vê, aquela que surge nem sei de onde, aquela que faz doer de verdade, a dor da alma, essa não tem remédio, não tem cura...
A dor que te faz sentir vivo e humano, a que te faz perceber que você também pode chorar, que pode gritar a plenos pulmões, que pode querer matar ou morrer por alguém, a dor que não cessa, a dor que dói mesmo que estejas com um sorriso aberto, em meio a um campo de rosas...
Essa dor é a mesma que te motiva a crescer, a querer estar preso, a servir por vontade, a doar-se sem medo, a se jogar do abismo pensando apenas na boa sensação do vento roçando-lhe o rosto. Quanto ao chão?? Esse se espera que não chegue nunca...
A dor que me envolve e me faz temer os seguintes dias é a mesma que me faz
querer que eles cheguem logo, que eu possa senti-los vivos dentro de mim, eternizá-los...
A dor do prazer de mais um dia, mais um mísero dia, a dor que move o homem, que move as engrenagens da humanidade.
A dor que vemos todos os dias, nos olhos daqueles meninos dos sinais, no sorriso triste de quem já não ama mais, na nostalgia alegre de antigos amantes, dentro de você, dentro de mim...
Essa dor que dói com prazer, que te arrepia o espírito, que não cansa de doer...
A dor dos meus dias alegres ou tristes, a dor que faz de cada momento o único pra viver, essa simples e ao mesmo tempo indecifrável dor que em mim arde.
A dor da qual não fugimos nunca, ela está a nossa espera, vigiando nossos passos, escurecendo e clareando nossos caminhos...
Nascemos em meio a ela, e a morte se concebe assim, quando a dor é tão forte que chega a te ofuscar...
Talvez sem dor seja mais fácil, mas os caminhos mais difíceis são os que te fazem ver que teu esforço valeu e que apesar dos pesares, apesar das dores, o momento do alívio enfim chegou, como um explendoroso pôr do sol após uma tarde chuvosa...
Sigo com a certeza de que um dia esse remédio chegue ao mercado, mas quando isso acontecer talvez viver não valha mais a pena, pois qual o real sentido da vida se não doer??

Um comentário:

Lu disse...

Estou sem palavras.
E feliz por saber que vc sabe que nao so faz parte da vida como é indispensavel.
Que cada um de nos saiba aproveitar as dores para aproveitar mto mais as alegrias.

Te amo.
Pode continuar com ele =]
=***