segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Palavras, apenas

Já me fizeram promessas vagas.
Já me prometi esquecê-las por inúmeras vezes, mas elas simplesmente ficam martelando nos meus ouvidos.
É melhor crer no irreal, alguma coisa ainda pode mudar se não temos certeza. Pior é quando temos a certeza de que estamos errados e ainda sim permanecemos crendo no erro.
Nunca te quis mais que agora.
Nunca quis tanto que tudo que tu me tenha dito não passe de mentiras, mentiras passageiras.
Crer no erro me faz cada dia mais presa a qualquer sensação que me remeta a ti.
Mas não posso me libertar, nem quero...
Gravou-se em mim a força de tua palavra.
Tua palavra falsa que me deixa boba a qualquer momento.
Tua mesma boba palavra, a que sai da tua boca e a mim parece mais um emaranhado de sons celestiais.
Tua, só tua.
A palavra que conforta, pacifica.
A palavra que me dá sentido...Acalenta.
A mesma palavra falsa, ilude...
A tua palavra pra mim.
Meu porto e eu sou náufrago...
Naufragado em meio a correntezas de ilusões...
Crendo nas promessas falsas de tuas palavras.
Te amando como nunca, mais que qualquer palavra já criada possa expressar.

3 comentários:

DuH disse...

Vou confessar que não lí. Minha cabeça está longe d+ para isso... Um Beijo!!

Amanda_Bia disse...

pois é... a gente se apaixona, se ilude e tudo que o outro diz parece sempre correeto, sempre engraçado, sempre perfeito... até o dia em que a perfeição acaba e aí a melodia se torna um som insuportável!
lindo texto!
beijos!

Mai Amorim disse...

NOssa...

palavras, palavras e palavras...
ilusões, sorrisos, beijos, abraços, toques...
solidão, companhia... AMOR..


não sei oq escrevo a respeito.
nada parece à altura..

enfim..


cmo vc disse, sou mongol

sauhusahsusa

amoo!