sábado, 17 de novembro de 2007

Martini em pequenas doses


Pediu duas doses de Martini ao homem do bar, uma certamente para ela, a outra seria para o lugar vazio do seu lado, no balcão ou no peito, que nesses dois só havia silêncio. Talvez um pouco de Martini descontraísse algum e de alguma maneira milagrosa o vazio se enchesse de alguma coisa.
Decidiu-se por tomar a sua dose antes, antes que o alguém inexistente ao seu redor resolvesse dar o primeiro gole. Ela virou. Virou o copo com vontade e sentiu aquele gosto confortante que tanto a agradava queimar-lhe um pouquinho a garganta e descer leve, com um prazer sem igual, como se nunca tivesse sido tocada por prazeres anteriormente. Roubou a cereja do drink e guardou-a entre os lábios, até que o desejo de degustá-la se tornasse incontrolável. Provou do doce, mas o amargo da ausência de qualquer um não se apagou da sua boca.
Amargurada resolveu não mais esperar por quem não chegaria. Furtou então o copo do desconhecido, pelo qual ela mesma pagara e deixou rolar mais uma vez aquela sensação garganta abaixo. O doce veneno a conformava de alguma forma. Enquanto se desprendia de si, esquecia do mundo lá fora, do belo que não chegou nem chegaria, de quanta vida estava ali perdida num balcão de bar, de quantas doses já haviam rolado, de quanto mais precisaria para apagar tudo, tudo que não tinha vivido.
Decidiu-se por mais uma, antes que a noite findasse. Mas a noite não tinha fim. Perdeu as contas de quantas bebeu naqueles dias em que o sol não nascia e em que tudo era névoa.
Regulou-se em pequenas doses, homeopáticas. Gota a gota deixou de ser. Gota a gota esqueceu de nascer [porque a cada dia se renasce pro mundo]. Prendeu-se só, "naquele" mundo.
Um doce contraste, um triste desfecho.
O estranho nunca chegou, o vazio nunca se encheu. A bebida nunca amargou.
A vida amargou.

7 comentários:

Aninha disse...

gosto d martini, achava q era ruim antes d experimentar, mas hj aprecio
texto legal
=D

DuH disse...

OPPPA HEIN!?!?!

Martini é BOOOM D+!!!

e o texto é maravilhoso.
beijão amor!

(sem saco para comentários inteligentes. =/)

Amanda_Bia disse...

lindo! foi o que vc postou no 15 neh?!
beijos!

Fanfarrão disse...

É, a bebida tem o poder de fazer com que a gente se esqueça de coisas que sem ela não conseguiriamos esquecer; fazemos coisas que só com ela temos coragem.
O problema é o dia seguinte, quando lembramos de apenas 1/3 do que fizemos.E o arrependimento não adianta nada.

:*

Scheidex disse...

heheheh
muito bom esse texto
já tinha lido lá no 15
Martini é muito bom...
Abraços ima
t+

Fanfarrão disse...

Sou eu msm =)
Queria ter ido pra formatura de vocês, mas nem deeu :\
Coloquei o link do seu blog lá no meu

:*

Ludmila Barbosa disse...

Também já li no 15, mas como é muito bom esse texto, tem mais é que ser publicado de novo.