terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Fuga



Não sei ainda se foram anos ou dias, fato é que algumas lembranças se perderam em meio à tempestade e não há mais como
recuperá-las.
Abandonou-me o gosto daquela boca ausente, o sentido para o qual eu me dirigia, aquela luz, sempre a luz por onde caminhávamos.
E tudo o que restou foi aquele cheiro acre. Como se nenhuma nuvem doce pudesse voltar a me envolver.
Não sei se foram anos, dias, momentos, lembranças. Sei apenas que se foram. Abandonaram-me assim como se não merecesse suas companhias. Privaram-me do adeus e partiram.

O que era bom já não volta.







Perdida entre o vazio desses dias frios...

4 comentários:

ludmila disse...

mas fica pra sempre na memoria!

:)

ok? ok

=***

naironbotao disse...

SEMPRE na memoria
to adorando teus textos!
adicionei no meu blog o teu
beijo mulher!

Scheidex disse...

O que é bom nunca acaba. Fica sempre guardado em algum lugar dentro de você.
Bom texto.
abraços
t+

Fanfarrão disse...

O que é nosso ninguém tira. E o que é bom nunca acaba, fica sempre em nossa memória.
Muito bom.